O Toque Sutil…

“O início da vida é o fundamental da vida inteira. Aqueles que recebem cedo o toque suficiente têm como mudas bem regadas e cuidadas, maior possibilidade de vicejar e se tornar plantas saudáveis”.

Eva Reich

O toque é essencial para a descoberta individual e intrínseca do individuo. O bebê quando nasce descobre gradativamente a “noção do eu” a partir do contato que estabelece com a sua mãe e seus cuidadores.

Com o aumento da tecnologia o toque está cada vez mais senso esquecido ou evitado, isso nãoacontece somente com nós adultos, muitas crianças não são tocadas pelo simples fato de sempre estarem o tempo todo conectadas com brincadeiras, brinquedos ou até mesmo com os tablets, celulares ou vídeo games. Diante da correria da vida diária, da vida coletiva, não ofertamos o toque, o olhar, a sensibilidade.

Pensando nisso, nós educadores, temos que ofertar o maior número de momentos afetivos entre os pequenos, momentos em que eles possam se olhar, se perceber, se ouvir e se tocar. As atividades diárias são atribuladas e muitas vezes não temos tempo de fazer o momento de “volta à calma”, mas não podemos esquecer que este é tão importante quanto o trabalho com a matemática, linguagem entre outras atividades que compõem a rotina propriamente dita, pois vão de encontro com a constituição da psique dos pequenos.

Entre as diversas possibilidades que temos para proporcionar o que chamamos de “volta à calma” temos o toque sutil.

A técnica do “Toque Sutil” foi criada pelo médico húngaro PethöSándor, é uma técnica de relaxamento que leva a regulação do tônus muscular, trazendo o reequilíbrio físico e psíquico do outro.

Quando olhamos e entendemos a criança como um ser integral, passamos a respeitar o seu corpo como um lugar sagrado, como morada para uma vida que pulsa, uma ser que pensa e sente.

O toque sutil, possibilita a experiência com a suavidade do toque mediante a relação com o outro, seja ele com elementos como gotinhas de água, bolinhas, penas, algodão, escova entre outros, ou somente pelo toque das mãos.

Dentro da sala de aula com os pequenos já usei diversos materiais e dividia momentos em que eu fazia o “toque sutil” e momentos em que eu pedia a ajuda das crianças para fazê-lo. É inacreditável e lindo vê-los com tanto cuidado com o outro.

Sabemos que é uma construção, a medida que ofertamos essas possibilidades aos pequenos diariamente, eles incorporam procedimentos, pois sabem exatamente do que precisam. Sim, se observarmos as suas brincadeiras, se tivermos um olhar e escuta sensíveis e ativos, com certeza veremos que eles, estão a todo tempo sinalizando as suas necessidades, basta que respeitemos esse corpo…

…Um corpo que chora, que ri, que descobre, que pensa e sente!

“Mais do que máquinas, precisamos de humanidade, mais do que inteligência, precisamos de afeto e ternura…” Charles Chaplin

Desejamos que suas aulas sejam repletas de afeto, ternura, olhar, sutilezas, contato e toque.

Abraços Brincantes e Psicomotores
Aline Meneses

Saiba mais em:

http://www.acasaredonda.com.br/pagina/24

TERAPIA DO TOQUE SUTIL – CALATONIA

Publicado em Blog

Leave a Reply